ESPECIALIZAÇÃO PÓS-UNIVERSITÁRIA EM PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO - 3ª Edição
– Advanced Professional Program –
Partilhar

ESPECIALIZAÇÃO PÓS-UNIVERSITÁRIA EM PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO - 3ª Edição

– Advanced Professional Program –

Acreaditação

undefined

(81.5 créditos)

 

Certificação

undefined

Instituto Reconhecido

undefined

Porto - 02 Mar. 2019 - Inscrições abertas

INSCRIÇÕES PIONEIRAS: 18% de Desconto nas propinas: PORTO até 16-01-2019

 

DATA LIMITE DE INSCRIÇÃOPORTO: 10-02-2019

 

ENSINO SUPERIOR

Tendo em vista o prosseguimento de estudos para a obtenção do grau académico de mestrado ou de doutoramento, os estabelecimentos de ensino superior poderão após apreciação, creditar em ECTS (European Credits Transfer System) os cursos concluídos com aproveitamento, ministrados pelo INSPSIC (artigo 45.º do Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de Março, alterado pelo Decreto-Lei n.º 107/2008, de 25 de Junho).

Destinatários

Psicólogos*, médicos, Professores. e outros profissionais de educação, sujeitos à apreciação curricular da Coordenação Científica. Internos e alunos finalistas de licenciatura nas áreas mencionadas.

*A creditação da Ordem dos Psicólogos Portugueses (81.5 créditos) destina-se exclusivamente aos psicólogos. 

Descrição

Coordenação Científica:

Carla Peixoto

Carla Peixoto

Licenciada (Pré-Bolonha; pré-especialização: Psicologia do Desenvolvimento e Educação da Criança) e doutorada em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto. Atualmente exerce funções de docência na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto e no Instituto Universitário da Maia (ISMAI) na área da Psicologia da Educação e em áreas associadas, tais como Psicologia da Criança e do Adolescente, Necessidades Educativas Especiais, Avaliação Psicológica. É supervisora de estágios curriculares e de de dissertações no âmbito do Mestrado de Psicologia Escolar e da Educação do ISMAI. Tem participado em vários projetos de investigação de âmbito nacional e internacional ligados à área da Psicologia da Educação, tendo como principais interesses de investigação a qualidade dos principais contextos de desenvolvimento dos indivíduos e a promoção do desenvolvimento de competências socioemocionais e de literacia emergente em crianças de idade pré-escolar. A nível da intervenção, desenvolve consultadoria em contextos educativos no âmbito da avaliação e da melhoria da qualidade dos ambientes e na área da gestão do comportamento em contexto escolar.

 

Coordenação Pedagógica:

Dr. José Pinto Gouveia

Director e Coordenador Pedagógico do Instituto Português de Psicologia. Psicólogo.

 

Creditação OPP: 81,5 créditos (Os créditos resultam das horas lectivas em sala de aula)

 

Objetivos gerais:

A Psicologia da Educação é a área da Psicologia especializada na compreensão dos processos intrapessoais e socioambientais inerentes ao desenvolvimento e à aprendizagem, sendo inquestionável, atualmente, a relevância do exercício da profissão de psicólogo/a nesta área de forma a dar resposta às necessidades de intervenção psicoeducativa de crianças e adolescentes que emergem nos contextos educativos formais e informais. Neste sentido, a presente pós-graduação visa a aquisição de formação que permita, nos termos do recente sistema de especialidades profissionais proposto pela Ordem dos Psicólogos Portugueses, o exercício profissional especializado na área da Psicologia da Educação. Esta pós-graduação encontra-se orientada para o aprofundamento de conhecimentos teórico-empíricos e de competências técnicas consideradas centrais ao exercício profissional na área da Psicologia da Educação, entre as quais, avaliação e intervenção psicológica/psicopedagógica, orientação vocacional, necessidades educativas especiais, consultadoria em contexto educativo e educação/suporte parental. Em termos gerais, é esperado que, no final da formação, os formandos sejam capazes de:

(1)   articular de forma crítica conhecimentos teóricos-empíricos relevantes e atualizados a nível dos processos do desenvolvimento humano e de ensino-aprendizagem;

(2)   desenvolver práticas de avaliação e de intervenção psicológica/psicopedagógica teórica e empiricamente sustentadas e adequadas às necessidades dos intervenientes e dos contextos;

(3)   equacionar de forma eticamente responsável a sua própria ação.

 

Objetivos específicos/ Competências a desenvolver:

1.1. Construir um quadro compreensivo acerca da Psicologia da Educação e respetivos âmbitos de atuação.

2.1. Distinguir as diferentes áreas de avaliação psicológica em contexto educativo.

2.2. Selecionar o(s) instrumento(s) de avaliação psicológica adequados a necessidades/situações específicas;

2.3. Demonstrar competências específicas na prática da avaliação psicológica em diferentes domínios: intelectual/cognitivo, neuropsicologia, socioemocional, personalidade.

2.4. Comunicar adequadamente os resultados da avaliação psicológica junto das famílias e dos profissionais.

2.5. Descrever processos de avaliação psicológica em contexto educativo eticamente responsáveis.

3.1. Analisar diferentes modelos de intervenção psicoeducativa e respetivas especificidades.

3.2. Demonstrar competências específicas no processo de planeamento, implementação e avaliação de intervenções psicoeducativas.

4.1. Analisar os diferentes paradigmas associados à Orientação Vocacional, de forma a construir um quadro de referência pessoal, teoricamente sustentado.

4.2. Construir e avaliar projetos de intervenção vocacional.

5.1. Usar o quadro de referência legal e instrumental para intervir de forma inclusiva com crianças e jovens com NEE.

5.2. Analisar o atual paradigma teórico da Educação Especial integrado numa perspetiva histórica de Educação Especial.

5.3. Ilustrar a utilização da CIF e CIF-CJ.

5.4. Planear a articulação entre os pais, alunos, professores e outros diversos técnicos no âmbito da escola inclusiva.

5.5. Selecionar metodologias de intervenção, dentro duma perspetiva ecológica e funcional, que contribuam para o sucesso educativo dos alunos e promovam a sua inclusão.

6.1. Analisar diferentes modelos de consultadoria psicológica e respetivas especificidades.

6.2. Explicar o papel da consultadoria psicológica em contexto educativo.

6.3. Construir processos eficazes de consultadoria psicológica em contexto educativo.

7.1. Enquadrar e valorizar a dimensão da qualidade das relações interpessoais no âmbito das principais problemáticas dos contextos educativos, nomeadamente violência, indisciplina e insucesso escolar.

7.2. Identificar dimensões chave para a promoção de relações interpessoais de boa qualidade em contexto educativo.

7.3. Identificar metodologias e técnicas de intervenção para a promoção de mais e melhores relações interpessoais.

8.1. Analisar a relevância e as especificidades da intervenção parental.

8.2. Relacionar os grandes desafios que a intervenção parental coloca e as potencialidades e limitações do papel do psicólogo neste âmbito.

8.3. Planear práticas de educação e suporte parental adequadas do ponto de vista dos destinatários/contexto e que respeitem as boas práticas recomendadas.

9.1. Identificar diversos tipos de suportes de apoio segundo os dois sistemas internacionais de categorização e relacionar com as principais necessidades das crianças e jovens.

9.2. Descrever as potencialidades dos suportes de apoio, sobretudo, os relacionados com a comunicação aumentativa, como forma de potenciar a funcionalidade, autonomia e independência das crianças e jovens.

9.3. Relacionar a utilização de suportes de apoio para a comunicação com outros tipos de suportes de apoio.

9.4. Analisar procedimentos de avaliação com vista à utilização de suportes de apoio segundo o modelo ecossistémico.

 

Métodos e técnicas pedagógicas:

Utilização do método expositivo, com recurso a suporte audio-visual, combinado com a participação ativa dos formandos através da discussão de temas específicos, estudos de caso, etc.

 

Metodologia de avaliação:

Trabalho final único e individual: Análise de um caso proposto pela Coordenação do curso, sendo obrigatória a mobilização de conteúdos específicos de pelo menos quatro dos módulos (exceto do módulo 1). O trabalho será supervisionado pela Coordenação do curso com esclarecimento de dúvidas com os formadores, caso seja necessário.

Saídas Profissionais

Após a conclusão desta Especialização Pós-Universitária com aproveitamento, o aluno será capaz de exercer a sua profissão nos seguintes contextos, entre outros:

- Creches, Jardins-de-Infância e Escolas;

- Centros culturais e artísticos, museus, bibliotecas e ludotecas;

- Centros de educação e interativos de Ciência e Tecnologia;

- Centros de formação artística;

- Centros de ocupação de tempos livres;

- Extensões educativas e de lazer de Câmaras Municipais e Juntas de Freguesia;

- Instituições de Solidariedade Social;

- Programas de Complemento Educativo.

Sabia que?

Esta Especialização Pós-Universitária contém todas as competências centrais definidas em decreto lei pela OPP:

1 - Avaliação psicológica em contexto educativo;

2 - Conceção, implementação e avaliação de intervenções psicoeducativas;

3 - Orientação vocacional;

4 - Inclusão e necessidades educativas especiais;

5 - Consultadoria em contexto educativo;

6 - Aconselhamento e intervenção psicoeducacional.

Plano Curricular

1. PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO: QUESTÕES INTRODUTÓRIAS

1.1. Antecedentes

1.2. Objeto de estudo

1.3. Tendências atuais: Influências teóricas, competências específicas e âmbitos de atuação

 

2. AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA EM CONTEXTO EDUCATIVO

2.1. Âmbito da avaliação psicológica em contexto educativo

2.2. As fases da avaliação psicológica de crianças e de adolescentes

2.3. Avaliação intelectual e cognitiva

2.4. Avaliação neuropsicológica

2.5. Avaliação socioemocional

2.6. Avaliação da personalidade

2.7. A elaboração de relatórios de avaliação psicológica

2.8. A dimensão ética e deontológica na prática da avaliação psicológica

 

3. CONCEÇÃO, IMPLEMENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DE INTERVENÇÕES

3.1. Questões introdutórias

3.1.1. Das conceções à prática

3.1.2. Dos modelos médicos aos modelos psicoeducativos

3.1.3. Dos modelos de consulta psicológica aos modelos de consultadoria

3.2. Conceção de intervenções psicoeducativas

3.2.1. Definição do problema

3.2.2. Avaliação de necessidades

3.2.3. Operacionalização de finalidades e objetivos

3.2.4. Planeamento da intervenção

3.3. Implementação de intervenções psicoeducativas

3.3.1. Condições e mecanismos de implementação

2.3.2. Processo de implementação

3.3.3. Monitorização/Avaliação do processo

3.4. Avaliação de intervenções psicoeducativas

3.4.1. Definição de objetivos, mecanismos e instrumentos de avaliação

3.4.2. Procedimentos de recolha e de análise de dados

3.4.3. Divulgação de resultados

 

4. ORIENTAÇÃO VOCACIONAL

4.1. Representações e definições de orientação vocacional

4.2. Contextos de aplicação

4.3. Evolução histórica e modelos teóricos

4.4. Intervenção e avaliação psicológica em orientação vocacional – metodologias e instrumentos

4.4.1. A construção da relação psicólogo-cliente na orientação vocacional

4.4.2. Avaliação dos valores, interesses e competências

4.4.3. Planeamento da intervenção em orientação vocacional

4.4.4. Programas/projetos de orientação vocacional

4.4.5. Elaboração de relatórios e devolução de resultados

4.5. Avaliação da qualidade da intervenção

4.6. Desafios à orientação vocacional e implicações práticas

 

5. INCLUSÃO E NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECIAIS

5.1. História da Educação Especial e Políticas Educativas da Educação Especial

5.2. Enquadramento legal em Portugal

5.3. Paradigma concetual: Modelo biopsicossocial

5.4. Objetivos, propriedades, componentes e contextos de aplicação da CIF e CIF – CJ

5.5. Elaboração do Programa Educativo Individual (Perfil de Funcionalidade do aluno por referência à CIF; Medidas educativas; Plano Individual de Transição…)

5.6. Da avaliação à intervenção numa perspetiva funcional e ecológica

 

6. CONSULTADORIA EM CONTEXTO EDUCATIVO

6.1. Processo de intervenção em consultadoria – especificidades

6.2. Papel da consultadoria no contexto educativo e nível de intervenção

6.3. Consultadoria em contexto educativo:

6.3.1. Modelos de consultadoria psicológica

6.3.2. Características

6.3.3. Passos do processo: identificação do problema, definição dos objetivos, plano de ação, avaliação

6.3.4. Vantagens e desvantagens da sua utilização

6.4. Eficácia da consultadoria em contexto educativo

 

7. ACONSELHAMENTO E INTERVENÇÃO PSICOEDUCACIONAL

7.1. A importância da aprendizagem sócio-emocional para o desenvolvimento integral dos/as alunos/as e para o clima social dos contextos educativos: principais dimensões de intervenção

7.2. Os efeitos da perceção de Aceitação-Rejeição Interpessoal na dinâmica relacional dos contextos educativos

7.3. A criação e manutenção de uma cultura de inclusão social e respeito pela diferença, como forma de promover contextos interpessoais saudáveis e de prevenir o problema da indisciplina e violência escolar

7.4. A criação de contextos de não-violência como forma de promover contextos relacionais seguros, confortáveis e promotores de desenvolvimento

 

8. PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO E SUPORTE PARENTAL 

8.1. Da parentalidade à intervenção na parentalidade

8.1.1. Evolução dos conceitos e modelos de compreensão

8.1.2. Parentalidade ao longo do ciclo de vida em circunstâncias normativas e não normativas

8.1.3. Implicações da parentalidade no desenvolvimento de crianças e adolescentes

8.1.4. Enquadramento social e político das práticas de apoio e suporte à parentalidade

8.2. Desenvolvimento de práticas de educação e suporte parental em diferentes contextos e com diferentes públicos

8.2.1. Questões de desenho: que população-alvo? que fundamento teórico (e empírico)?, que modalidades e estratégias?, que avaliação de eficácia?

8.2.2. Questões críticas na implementação: envolvimento parental - recrutamento e retenção; o perfil do técnico, relação colaborativa, questões éticas

8.3. Um olhar concreto sobre a prática

8.3.1. Exemplos de programas de educação e suporte parental

8.3.2. Vinhetas de intervenção

 

9. SUPORTES DE APOIO

9.1. Evolução concetual

9.2. Categorização segundo o modelo ISO e o modelo HEAR

9.3. O sistema português de prescrição, atribuição e financiamento de suportes de apoio

9.4. Suportes de apoio e sistemas de comunicação aumentativa

9.4.1. Posicionamentos e funcionalidade tendo em conta a utilização de suportes de apoio para a comunicação e a autonomia

9.4.2. Os principais sistemas aumentativos de comunicação

9.4.3. Da avaliação à intervenção com vista à utilização de suportes de apoio para a comunicação em contextos naturais de interação

 

Corpo Docente

Lurdes Veríssimo

Lurdes Veríssimo

Licenciada em Psicologia pela FPCE – Universidade de Coimbra, Mestre em Psicologia Social pela UP e Doutorada em Psicologia da Educação pela Universidade do Porto. Atualmente é Professora Auxiliar da Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica Portuguesa e coordenadora do Mestrado em Psicologia, onde leciona também a Unidade Curricular de NEE. É também psicóloga de crianças e adolescentes e formadora em áreas relacionadas com o desenvolvimento, educação especial e parentalidade.

Carla Peixoto

Carla Peixoto

Licenciada (Pré-Bolonha; pré-especialização: Psicologia do Desenvolvimento e Educação da Criança) e doutorada em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto. Atualmente exerce funções de docência na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto e no Instituto Universitário da Maia (ISMAI) na área da Psicologia da Educação e em áreas associadas, tais como Psicologia da Criança e do Adolescente, Necessidades Educativas Especiais, Avaliação Psicológica. É supervisora de estágios curriculares e de de dissertações no âmbito do Mestrado de Psicologia Escolar e da Educação do ISMAI. Tem participado em vários projetos de investigação de âmbito nacional e internacional ligados à área da Psicologia da Educação, tendo como principais interesses de investigação a qualidade dos principais contextos de desenvolvimento dos indivíduos e a promoção do desenvolvimento de competências socioemocionais e de literacia emergente em crianças de idade pré-escolar. A nível da intervenção, desenvolve consultadoria em contextos educativos no âmbito da avaliação e da melhoria da qualidade dos ambientes e na área da gestão do comportamento em contexto escolar.

Francisco Machado

Professor Francisco Machado

Psicólogo, licenciado pelo Instituto Universitário da Maia (ISMAI) e doutorado pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto e especializado na área de Psicologia Escolar e da Educação. Exerce como Psicólogo, em regime de prática privada desde 2000. Professor auxiliar e investigador no ISMAI, desde 2001, tendo leccionado em diversos ciclos de estudo, mas com maior incidência sobre a licenciatura em Psicologia e nos mestrados de Psicologia Escolar e da Educação , Psicologia Clínica e da Saúde e Psicologia da Justiça. Atualmente é supervisor de estágios académicos e profissionais na área da Psicologia Escolar, tendo já desempenhado as mesmas funções na área da Psicologia Clínica e da Saúde. Coordenador do mestrado de Psicologia Escolar e da Educação do ISMAI e do grupo de investigação de Psicologia Escolar, da Educação e Desenvolvimento, dedicado ao estudo da Aceitação-Rejeição Interpessoal, Parentalidade, Violência Escolar e Orientação Vocacional. Publicou diversos artigos nacionais e internacionais, com especial foco sobre a psicologia da família, psicologia vocacional e psicologia da educação. É investigador integrado do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX da Universidade de Coimbra (CEIS20) e Presidente-Eleito da Sociedade Internacional para o Estudo da Aceitação-Rejeição Interpessoal (ISIPAR).

Joaquim Colôa

Joaquim Colôa

É Professor de Educação Especial no Agrupamento de Escolas Padre Bartolomeu de Gusmão em Lisboa e Investigador Colaborador no Instituto de Educação, Universidade de Lisboa. É Doutorado em Ciências da Educação com Especialização na área da Avaliação, Mestre em Educação Especial, Pós Graduado em Psicomotricidade e Especializado em Educação Especial. Tem colaborado como docente em cursos de Especialização e Mestrado em diversas Instituições de Ensino Superior (ISPA, ESE de Castelo Branco, ISEC e ESE Jean Piaget de Almada), sendo responsável em algumas dessas instituições pelo módulo de Tecnologias de Apoio. Foi membro do Conselho Cientifico do Mestrado em Intervenção Precoce do ISEC. Foi responsável pela área da Intervenção Precoce no Ministério da Educação. É formador acreditado pelo Conselho Cientifico-Pedagógico da Formação Continua (nas áreas de Avaliação, Educação de Infância, Educação Especial, Práticas de Avaliação do Rendimento Escolar e Tecnologias Educativas na Educação Especial – Tecnologias de Apoio). Tem sido preletor em diversos encontros, seminários e colóquios tanto no país como no estrangeiro, nomeadamente na área das Tecnologias de Apoio, bem como na área da Intervenção Precoce. É autor, tanto no país como no estrangeiro, de artigos em jornais e revistas, capítulos de livros e livros. É autor de diversos relatórios produzidos no âmbito dos serviços do Ministério da Educação sendo um desses relatórios sobre Problemas Motores e Tecnologias de Informação e Comunicação. É Presidente da Mesa da Assembleia da Associação Nacional de Docentes de Educação Especial e membro do Conselho Pedagógico do Centro de Formação da mesma associação. É membro da Rede Europeia e-COST. Foi representante do Ministério da Educação nos grupos de trabalho na área das Tecnologias de Informação e Comunicação (ICT in SNE Project) na Agência Europeia para as Necessidades Educativas Especiais e Educação Inclusiva. Representou o Ministério da Educação no Grupo de trabalho de Melhoria do Sistema Supletivo de Prescrição e Financiamento de Tecnologias de Apoio coordenado pelo Secretariado Nacional de Reabilitação e Integração da Pessoa com Deficiência e na Comissão técnica (CT – 160) de Acessibilidade às Tecnologias de Informação e Comunicação Coordenada pelo ONS/II Instituto de Informática. Traduziu as normas de qualidade na informática para o Instituto Português de Qualidade. Foi responsável pela conceptualização e criação do segundo Centro de Avaliação em Novas Tecnologias de Informação e Comunicação para intervenção com alunos com NEE em Portugal no âmbito do da Equipa de Coordenação doa apoios Educativos de Castelo Branco.

Marisa Simões Carvalho

Marisa Simões Carvalho

Licenciada em Psicologia pela FPCE-UP, com doutoramento em Psicologia Vocacional pela UM. Professora Auxiliar Convidada na Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica Portuguesa. Lecionou unidades curriculares em pós-graduações e mestrados no âmbito da Metodologia de Investigação, Avaliação Pedagógica, Educação Inclusiva, entre outras. Orientou teses de mestrado no âmbito da Educação Especial e Educação Inclusiva, designadamente relacionadas com a avaliação de programas de intervenção, práticas inclusivas em contexto escolar ou transições para a vida pós-escolar. É autora e coautora de livros, capítulos de livros, artigos em revistas nacionais e internacionais, apresentou comunicações em simpósios nacionais e internacionais e participou na comissão organizadora de seminários/congressos. Participou em projetos nacionais e internacionais, nomeadamente no projeto “Ainda estou a aprender. Desenvolvimento de uma plataforma online de avaliação e intervenção nos problemas de leitura” ou no “Inclusive Pre-Primary Education Project” da European Agency for Special Needs and Inclusive Education.

Cristina Azevedo

Cristina Azevedo

Licenciada e doutorada em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto, tem vindo a desempenhar funções de docência no ensino superior e de formadora em diversos contextos, assim como de coordenadora de formação e supervisora pedagógica de estudantes de Psicologia no contexto de casos de Consulta Psicológica de Orientação Vocacional da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto. Tem igualmente desempenhado as funções de psicóloga quer em contextos educativos quer em contextos clínicos. Foi Bolseira de Doutoramento da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), tendo concluído o seu doutoramento em 2009 com aprovação por unanimidade e com proposta de distinção dada a relevância da publicação científica do seu trabalho. É investigadora e colaboradora externa da Universidade do Porto. Possui certificado de Aptidão Pedagógica de Formador (CAP) e Certificado de Qualificação de Formador atribuído pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua, é Membro Efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses e Membro Especialista em Psicologia da Educação.

Teresa Jesus

Teresa Jesus

É licenciada (pré-Bolonha) em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Porto (área optativa de formação: Psicologia do Desenvolvimento e Educação da Criança).

Exerceu atividade profissional como psicóloga em contexto privado de consulta psicológica de crianças e jovens e foi colaboradora da CUP – Clínica Universitária de Psicologia da Universidade Católica – na área da consulta de orientação vocacional.

Foi consultora do AVES – Avaliação de Escolas Secundárias – e tem experiência como formadora, na orientação de estágios curriculares e profissionais em contexto escolar e na supervisão de psicólogos a trabalhar em diversos contextos educativos.

Atualmente é responsável pelo Serviço de Psicologia e Orientação de um Agrupamento de Escolas, desenvolvendo atividades com crianças do pré-escolar ao ensino secundário e intervindo em áreas tais como: orientação escolar e profissional; consultadoria com docentes no apoio à definição de estratégias educativas; avaliação psicológica de crianças e jovens; avaliação de crianças com necessidades educativas especiais; educação parental; conceção e implementação de diversos projetos – prevenção das dificuldades de aprendizagem;

Helena Azevedo

Helena Azevedo

Licenciada em Psicologia e mestre em Psicologia Escolar pelo Instituto de Educação e Psicologia da Universidade do Minho. Atualmente é doutoranda em Psicologia da Educação, na Escola de Psicologia da Universidade do Minho. Tem exercido funções de psicóloga escolar em agrupamento de escolas. Neste âmbito, tem colaborado e coordenado diversos projetos, designadamente a avaliação interna do agrupamento e o “Projeto Ser Escola – Promoção de Comportamentos Positivos”. Colabora em projetos nacionais da responsabilidade de outras instituições, como por exemplo “Ainda Estou a Aprender: plataforma educativa online de avaliação e intervenção nas dificuldades de aprendizagem da leitura” da Universidade do Minho. Dedica-se, ainda, à docência no ensino superior, à formação de professores e à investigação no domínio da Psicologia da Educação. Possui trabalhos publicados em revistas nacionais e internacionais.

Mariana Negrão

Mariana Negrão

É doutorada pela Escola de Psicologia da Universidade do Minho, na especialização de Psicologia Clínica. Atualmente é Professora Auxiliar na Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica Portuguesa. As suas áreas de interesse e de investimento profissional são o risco desenvolvimental, a vinculação e a intervenção parental. É também Psicóloga responsável pela avaliação e acompanhamento de crianças e seus pais. É formadora em diversas áreas, consultora e supervisora em projetos relativos ao bem-estar infantil e à promoção da parentalidade, e integra ainda vários projetos de investigação na área da parentalidade.

Calendarização e localização

Porto

 

02, 16 e 30 de Março de 2019;

13 e 27 de Abril de 2019;

11 e 25 de Maio de 2019;

08 e 29 de Junho de 2019;

13 e 27 de Julho de 2019;

14 e 28 de Setembro de 2019;

12 e 26 de Outubro de 2019;

09 e 23 de Novembro de 2019;

18 e 25 de Janeiro de 2019.

Instituto Português de Psicologia e Outras Ciências

Rua de Camões 219, 5º Piso

4000-145 Porto, Portugal

 

Número de Vagas: limitadas.

Duração: 148h Presenciais

Nota: datas sujeitas a eventuais alterações.

Horário: Sábados – 09h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00.

Investimento

Inscrição:

150.00 €

Propina:

1,490.00 €

Seguro escolar:

20.00 €

Condições de pagamento

Pronto pagamento - 12% desconto

Normal
1,311.20 €
(Ex) Alunos do INSPSIC (15% desconto)
1,266.50 €

12 mensalidades

Normal
124.20 €
(Ex) Alunos do INSPSIC (10% desconto)
111.80 €

(1) Pronto pagamento beneficia de 12% de desconto nas propinas. Desconto aplicável na condição de ser efectivada a liquidação total do investimento nos 5 dias úteis pós validação da inscrição.

(2) Alunos e ex-alunos do INSPSIC beneficiam de 15% desconto na propina (opção pronto pagamento) ou 10% de desconto na opção pagamento fraccionado em mensalidades.

(3) Estudantes externos e temporariamente inativos beneficiam de 12% na opção pronto pagamento e também na opção pagamento fracionado em mensalidades.

(4) TRAGA UM AMIGO / 5% desconto por cada amigo até ao limite do pagamento integral da formação. Opção acumulável com outros descontos em vigor.

- INSCRIÇÕES PIONEIRAS: 18% desconto nas propinas se realizadas até 45 dias antes da data inicial da formação.

Nenhum desconto, cartão ou campanha é acumulável entre si, excepto Com a opção "TRAGA UM AMIGO".

O Curso com “preço especial” é cumulativo apenas com a opção "TRAGA UM AMIGO".

Seguro Escolar: 20 euros. Este valor deverá ser regularizado conjuntamente com a 1ª propina ou com o pronto pagamento.

Seguro Escolar: 8 euros. Este valor deverá ser regularizado conjuntamente com a 1ª propina ou com o pronto pagamento dos cursos com duração inferior a 24 horas.

Pagamento por transferência para o IBAN: PT50 0033 0000 4541 1532 8050 5

SWIFT/BIC: BCOMPTPL

Critérios de seleção

- Análise Curricular;

- Ordem de chegada das candidaturas (a candidatura só é válida após pagamento da inscrição);

- Entrevista (se necessário)

Observações

(1) A data limite poderá ser antecipada em caso de se verificar o preenchimento do limite de vagas existentes.

(2) Na eventualidade de não atingir o número mínimo de participantes, esta Formação poderá sofrer alteração de datas ou mesmo ser cancelada, ficando salvaguardada a devolução de todas as importâncias recebidas pelo Instituto Português de Psicologia;

(3) Em caso de desistência só haverá lugar à devolução da candidatura quando a mesma for comunicada até 10 dias úteis antes da data agendada para o arranque da formação.

(4) Em períodos de campanha, haverá lugar à devolução dos valores investidos unicamente em situação de adiamento superior a 30 dias ou cancelamento da Formação em que se tenha inscrito motivado pelo não atingimento do número mínimo de inscrições necessárias ao seu início;

(5) No caso de optar pelo pagamento fracionado das propinas, o mesmo deverá ser efetuado até ao dia 10 de cada mês, após início da formação;

(6) No caso de optar pelo pagamento na totalidade, o mesmo terá de ser efetuado nos 5 dias úteis após validação da inscrição;

(7) O local de formação poderá estar sujeito a alterações por indisponibilidade do mesmo, mantendo-se sempre na mesma cidade;

(8) Toda a informação contida em cada formação é válida, salvo anomalia técnica, informática ou erro gráfico.

Documentos obrigatórios

CV;

Certificado de habilitações;

NIF (Número de Identificação Fiscal);

Envio de comprovativo do pagamento da inscrição.

Inscrição

Subscreva a newsletter do INSPSIC: Construímos o Futuro Consigo.

Candidaturas e informações

Instituto Português de Psicologia e Outras Ciências | Escola de Formação Avançada

Departamento de Formação Pré e Pós-Universitária

Secretariado e Gabinete de Admissão de Alunos | Student Admissions Office

Rua de Camões Nº 219, 5º Piso

4000-145 Porto / Portugal

Tel./Fax. 220 934 050

Tlm. 91 019 60 02

E-mail:geral@inspsic.pt

URL:www.inspsic.pt

fechar

 

Nós ligamos

fechar