ESPECIALIZAÇÃO AVANÇADA PÓS-UNIVERSITÁRIA EM CONTROLO DE DOR: AVALIAÇÃO E INTERVENÇÃO CLÍNICA
- Advanced Professional Program -
Partilhar

ESPECIALIZAÇÃO AVANÇADA PÓS-UNIVERSITÁRIA EM CONTROLO DE DOR: AVALIAÇÃO E INTERVENÇÃO CLÍNICA

- Advanced Professional Program -

Certificação

undefined

undefined

Instituto Reconhecido

undefined

Patrocínio Cientifico

undefined

Porto - 06 Mar. 2021 - Inscrições Abertas

Livestream - 06 Mar. 2021 - Inscrições Abertas

INSCRIÇÕES PIONEIRAS - 18% de Desconto nas propinas: Porto até 20 Dez. 2020 / Livestream até 20 Dez. 2020

(inscrições realizadas até 45 dias antes da data inicial da formação)

 

DATA LIMITE DE INSCRIÇÃO: PORTO | LIVESTREAM: 14-02-2021

Conheça também a
Especialização Avançada Pós-Univesitária
CONTROLO DA DOR:
Avaliação e Interv. Psicológica e Clínica
[para Psicólogos, Psi. Juniores e Estudantes de Psicologia]
ESPECIALIZAÇÃO AVANÇADA PÓS-UNIVERSITÁRIA EM CONTROLO DA DOR: AVALIAÇÃO E INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA E CLÍNICA

O QUE É O LIVE STREAM?

A formação em Live Stream é uma tecnologia inovadora, que permite aos alunos do Instituto Português de Psicologia e Outras Ciências assistirem em direto aos eventos formativos a partir de qualquer ponto do país e do mundo. Para que isso aconteça é apenas necessário ter acesso à internet.

 

O que é o Live Stream do Instituto Português de Psicologia e Outras Ciências?

O investimento do Instituto Português de Psicologia e Outras Ciências nesta área de ensino visa encurtar distâncias, aproximar alunos e disponibilizar a nossa oferta formativa a todos os que pelos mais diversos motivos não podem assistir às aulas em regime presencial. Assim, os alunos poderão aceder a formação com o mesmo rigor científico e técnico semelhante ao ensino presencial, voltado para a aquisição, desenvolvimento e aprofundamento de conhecimentos necessários ao exercício de uma prática clínica, académica (ou outra) enquadrada nas boas práticas da Psicologia e áreas afins.

 

Apoio técnico ao Aluno à distância

No Instituto Português de Psicologia e Outras Ciências, os alunos usufruem de acompanhamento interativo via email ou chat, para um melhor aproveitamento das aulas. Todo o material fornecido aos alunos presenciais é também disponibilizado aos alunos em regime de Live Stream.

 

Outras vantagens:

Possibilidade de assitirem até 25% das aulas presencias sem quaisquer custos adicionais.

 

Saiba mais em geral@inspsic.pt

ENSINO SUPERIOR

Tendo em vista o prosseguimento de estudos para a obtenção do grau académico de mestrado ou de doutoramento, os estabelecimentos de ensino superior poderão após apreciação, creditar em ECTS (European Credits Transfer System) os cursos concluídos com aproveitamento, ministrados pelo INSPSIC (artigo 45.º do Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de Março, alterado pelo Decreto-Lei n.º 107/2008, de 25 de Junho).

Destinatários

Médicos, Enfermeiros e outros licenciados em saúde a exercer funções em Unidades de tratamento de dor.

Descrição

 

Coordenação Científica:

Armando Almeida

Armando Almeida , Professor Doutor

Professor Associado na Escola de Medicina da Universidade do Minho (UM), coordena os componentes letivos de Histologia e Embriologia nos dois primeiros anos do Curso de Medicina com Mestrado Integrado da UM. Biólogo de formação e atual membro do domínio de Neurociências do Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde (ICVS) da Escola de Medicina da UM, dedica-se desde 1990 à investigação em mecanismos de dor crónica e seu tratamento, tendo-se doutorado em 2000 com uma tese sobre a modulação descendente da nocicepção e dor. Coordena uma equipa multidisciplinar de investigação em dor no ICVS, foi orientador de 8 teses de doutoramento e atualmente coordena estudantes de doutoramento e pós-doutoramento. Publicou mais de 90 artigos científicos e capítulos de livros internacionais.

Lígia Ferros

Lígia Ferros , Professora Doutora

Licenciada e Doutorada em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto (FPCE-UP); Professora Auxiliar no Instituto de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade Lusíada do Porto (ULP); Regente das cadeiras de Psicopatologia (Licenciatura em Psicologia); Psicopatologia da Criança e do Adolescente (Mestrado em Psicologia Clínica) e Psicopatologia do Desenvolvimento da Criança e do Adolescente (Mestrado em Psicologia da Educação). Membro do Conselho Científico da ULP. Júri de mestrados – FPCE UP. Psicóloga, especialista em Psicologia Clínica, a exercer funções no Instituto da Droga e da Toxicodependência (IDT); Orientadora de estágios do Ramo de Psicologia Clínica (Área Comportamental-Cognitiva). Actividade clínica com adolescentes e adultos em prática privada. Coordenadora de Cursos de Especializações em Psicoterapias Cognitivo- Comportamentais; Psicopatologia da Criança e do Adolescente e Dependências Químicas e Comportamentais. Formação em Terapia Familiar Sistémica. Autora de textos vários publicados em revistas nacionais e internacionais. Sócia da Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar e da Sociedade Portuguesa de Sexologia Clínica. Investigadora no Centro de Investigação em Psicologia do Comportamento Desviante e Saúde da FPCE – Universidade do Porto; Directora Científica do Instituto Português de Psicologia; Membro fundador da Sociedade Portuguesa de Ciências Psicológicas e do Comportamento Desviante – SPCIPCOD; Consultora Científica do Serviço de Consulta Psicológica da Universidade da Madeira; Membro da Comissão Científica do 1º Congresso da Ordem dos Psicólogos Portugueses, tendo aí, a convite, apresentado uma comunicação subordinada ao tema: A organização dos psicólogos nos serviços e instituições: Identidade e Diálogo.

 

Coordenação Pedagógica:

José Pinto Gouveia , Dr.

Director e Coordenador Pedagógico do Instituto Português de Psicologia. Psicólogo.

 

Mensagem da coordenação científica do curso:

Por visar a prática profissional no âmbito muito específico dos mecanismos e tratamento / controlo da dor aguda, inflamatória e crónica em pacientes com base patológica variada, desenhamos esta Especialização Avançada Pós-Universitária pensando especialmente nos profissionais que lidam com doentes que necessitam deste tipo de intervenção clínica (Curso Superior em Psicologia / Medicina /Especialidades de Psiquiatria, Anestesiologia, Fisiatria, Reumatologia, Ortopedia e Oncologia / Enfermagem em unidades de tratamento da dor). Esta formação implica assim o domínio prévio de noções básicas de psicologia/psicoterapia e neurociências, indispensáveis a uma máxima rentabilização dos conhecimentos ministrados na mesma.

Professor Doutor Armando Almeida

Professora Doutora Lígia Ferros

 

Introdução:

Esta Especialização Avançada Pós-Universitária visa a prática profissional no âmbito do tratamento e controlo da dor aguda, inflamatória e, especialmente, da dor crónica em pacientes com patologias variadas (dor músculo-esquelética, dor neuropática, dor oncológica, dor em cuidados paliativos), estando especialmente desenhada para profissionais possuidores de habilitação prévia para este tipo de intervenção clínica (Curso Superior em Psicologia / Medicina / Enfermagem em unidades de dor).

Plano Curricular

Objetivos Gerais

Adquirir formação teórica e prática sobre (i) os mecanismos anátomo-fisiológicos e moleculares da dor aguda e crónica, (ii) o seu tratamento farmacológico e não farmacológico e as técnicas invasivas e não invasivas específicas dos diferentes tipos de síndromes de dor crónica, e (iii) as técnicas de avaliação e intervenção sobre a dor com ênfase nas dimensões da psiquiatria/ saúde mental.

 

Competências a Desenvolver

- Diferenciar os diferentes mecanismos que contribuem para a percepção da dor aguda e da dor inflamatória;

- Identificar os mecanismos de cronificação da dor e as bases funcionais patológicas dos diferentes tipos de dor crónica;

- Compreender a dor como uma experiência multidimensional e descrever os diferentes componentes e mecanismos que que para ela contribuem;

- Distinguir os diferentes protocolos de avaliação e intervenção na dor aguda e na dor crónica

- Identificar os fármacos e terapias adequadas para o tratamento da dor aguda e da dor crónica

- Avaliação de casos clínicos e o seu tratamento em pacientes com dor crónica músculo-esquelética, neuropática, oncológica e em cuidados paliativos

 

Metodologia de Ensino

A formação será organizada numa perspectiva teórico-prática, com recurso a suporte audio-visual e participação activa do aluno, nomeadamente com atividades em grupo. Versará a apresentação e discussão de temas específicos das bases científicas de mecanismos de dor e dos seus fundamentos de tratamento farmacológico e não farmacológico, bem como a discussão de casos clínicos da prática do formando e o apoio ao trabalho do discente.

 

Critérios de Avaliação

Teste Sumativo.

Para a conclusão do curso com aproveitamento, os formandos deverão ter uma assiduidade mínima de 75% e uma classificação final de 10 valores, numa escala de 0 a 20 valores.

 

PLANO CURRICULAR

 

MÓDULOS 1 e 2: ANATOMIA, FISIOLOGIA E FISIOPATOLOGIA DA DOR AGUDA E DA DOR CRÓNICA

1. Descrever a definição oficial de Dor e identificar as suas lacunas

2. Compreender a dor como mecanismo de defesa e a sua desregulação como doença

3. Identificar diferentes formas de classificação da dor

4. Distinguir nociceção e dor

5. Descrever os sistemas lateral e medial de processamento nociceptivo

6. Identificar a forma como o cérebro controla a dor

7. Caracterizar a modulação descendente da transmissão da nociceção na medula espinhal

8. Identificar os mecanismos biológicos propostos em diferentes teorias da dor

9. Distinguir e classificar os aferentes primários

10. Identificar diferentes tipos de nociceptores

11. Distinguir 1ª e 2ª dor e inflamação neurogénica

12. Identificar os mecanismos básicos da sensitização periférica e da sensitização central

13. Caracterizar as alterações na passagem da dor aguda para dor crónica

14. Distinguir diferentes mecanismos de dor crónica

15. Descrever a transmissão nociceptiva para o encéfalo

16. Identificar os mecanismos de discriminação sensorial da dor – homúnculo

17. Identificar mecanismos de modulação cognitiva e emocional da dor

18. Conhecer a assinatura da dor em termos de imagiologia do encéfalo

19. Descrever formas de neuroplasticidade do encéfalo induzidas pela dor crónica

20. Comparar os mecanismos básicos de dor visceral com a dor de origem somática.

 

MÓDULO 3: MODELOS E TEORIAS DE DOR

1. Descrever e discutir criticamente os primeiros modelos e teorias da dor

2. Descrever e caracterizar a teoria do “portão do controlo da dor” e apontar as suas vantagens em relação às primeiras teorias da dor

3. Reconhecer o papel da teoria do “portão do controlo da dor” nos modelos modernos de conceptualização da dor e na mudança de paradigma

4. Descrever e caracterizar o Modelo Comportamental de dor, identificando e relacionando os conceitos centrais e mecanismos explicativos da experiência de dor

5. Descrever e caracterizar o Modelos Cognitivo-Comportamental de dor, identificando e relacionando os factores cognitivos, emocionais e sociais mais importantes na experiência de dor e os mecanismos explicativos da experiência de dor

6. Descrever e caracterizar outros modelos e respectivas conceptualizações e variáveis-alvo: Fear Avoidance Model; Diathesis-Stress Model; Acceptance and Commitment Therapy.

 

MÓDULO 4: AVALIAÇÃO MULTIDIMENSIONAL DA DOR

1. Identificar e caracterizar os diferentes tipos de dor aguda

2. Identificar e descrever as diferentes dimensões e variáveis a avaliar na dor aguda, bem como os respectivos instrumentos de avaliação

3. Descrever e discutir criticamente os factores de risco para a cronicização da dor em diferentes situações

4. Identificar e descrever as diferentes dimensões e variáveis a avaliar na dor crónica: dimensões e variáveis a avaliar e respectivos instrumentos de avaliação

5. Definir e discutir criticamente questões de investigação na dor relativamente aos diferentes tipos de estudos, metodologias de investigação, desenho de estudos, critérios de amostragem e de validade

 

MÓDULO 5: FARMACOLOGIA DA DOR AGUDA E DA DOR CRÓNICA

Classes de fármacos de interesse: Anti-inflamatórios não esteroides, Corticoesteróides, Opióides, Canabinóides, Antidepressivos, Anti-convulsivantes, Anestésicos Locais

1. Caracterizar e sintetizar os mecanismos de ação dos vários fármacos

2. Caracterizar o perfil farmacinético específico dos vários fármacos

3. Caracterizar o perfil farmacodinâmico do fármaco tipo de cada classe

4. Identificar e enumerar os efeitos laterais mais comuns e os seus mecanismos fisiopatológicos

5. Avaliar e sintetizar as aplicações clínicas dos fármacos específicos de acordo com as características farmacocinéticas e farmacodinâmicas

6. Sintetizar os conceitos de tolerância, dependência e adição

7. Discutir casos clínicos

 

MÓDULO 6: INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA NA DOR

1. Caracterizar e distinguir os conceitos de prevenção primária, secundária e terciária no âmbito da intervenção na dor

2. Caracterizar e refletir criticamente acerca do modelo de intervenção na dor

3. Identificar e descrever outras abordagens psicológicas na dor: Mindfullness, Acceptance and Commitment Therapy, Hipnose

4. Discutir e refletir criticamente acerca dos modelos multimodais de intervenção na dor

 

MÓDULO 7: SÍNDROMES DE DOR “ESPECÍFICAS”: AVALIAÇÃO E INTERVENÇÃO

1. Descrever o processo de dor em cada uma das situações específicas de dor apresentadas e identificar e relacionar os principais mecanismos e variáveis subjacentes

2. Identificar e descrever os meios de avaliação e as estratégias mais eficazes de intervenção para cada uma das situações específicas de dor apresentadas

 

MÓDULO 8 e 9 A: ABORDAGEM DO DOENTE COM DOR CRÓNICA: CASOS CLÍNICOS E PROTOCOLOS DE TRATAMENTO

O Controlo da Dor deve ser encarado como uma das prioridades ao nível dos cuidados de saúde, transversal a todas as tipologias, sendo, igualmente um fator decisivo para a indispensável humanização dos cuidados prestados

O desafio da Abordagem da Dor Crónica é real e possível face á nova atitude Médica e da Sociedade e ás novas organizações das Unidades de Saúde

A Dor transforma o Doente, interfere com a sua vida de relação, levando ao seu isolamento e a quadros psicossociais graves

Na abordagem da Dor Crónica é importante a Tratamento e a Reabilitação do Doente com a Disfunção.

É necessário haver complementaridade dos diversos níveis de Cuidados de Saúde

O caminho do Doente numa Unidade de Dor Crónica

1. Identificar as normas de organização e classificação das unidades de dor crónica

2. Como referenciar para uma Consulta de Dor Crónica

3. A perspetiva da fase inicial da Doença “a Notícia” e a perspetiva da Família face ao Doente com Dor Crónica:

- As Alterações dos Projetos

- As Alterações Psiquiatricas: Depressão / Suicídio

- O Quadro Clínico Sintomático “Like” e o aumento dos comportamentos de Risco

Estratégia da Abordagem da Dor Neuropática Crónica:

1. Conhecer a apresentação clínica das principais atologias que causam Dor Crónica

2. Saber avaliar e caraterizar a Dor e conhecer as principais escalas de utilizadas para a avaliação sistemática da Dor Crónica

3. Identificar aspetos práticos relacionados com o controlo da Dor Crónica

4. Conhecer as várias técnicas farmacológicas invasivas e não invasivas

5. Conhecer as principais técnicas não farmacológicas utilizadas no tratamento da Dor Crónica

6. Planear o controlo da Dor, monitorizar e despistar o aparecimento dos sintomas adversos

7. Facilitar a comunicação entre Cuidador – Doente – Equipa Médica

8. Planear a Reabilitação funcional

9. Apresentação e discussão de casos clínicos dos vários quadros de Dor Crónica Neuropática

Estratégia da Abordagem do Doente em Cuidados Continuados:

- Objetivos da abordagem do Doente proposto para Cuidados Paliativos 

- Quais os Protocolos a propor no Doente em regime de internamento ou de ambulatório

3. Planear o controlo da Dor e os Sintomas, numa perspectiva multidisciplinar

4. Dar prioridade á comunicação entre Cuidador – Doente – Equipa Médica

5. Apresentação e discussão de casos clínicos de Doentes em cuidados Paliativos

 

MÓDULO 9 B: ABORDAGEM DO DOENTE COM DOR CRÓNICA PÓS-OPERATÓRIA: CASOS CLÍNICOS E PROTOCOLOS DE TRATAMENTO

1. Definir e compreender o impacto da Dor Crónica Pós-operatória

2. Identificar os Fatores associados ao Desenvolvimento de Dor Crónica Pós-operatória

3. Abordar as principais estratégias de prevenção de Dor Crónica Pós-operatória

4. Abordar o tratamento da Dor Crónica Pós-operatória

5. Discutir casos clínicos relacionados com Dor Crónica Pós-operatória

 

MÓDULO 10: CASOS CLÍNICOS E PROTOCOLOS DE TRATAMENTO DA DOR ONCOLÓGICA

A dor em oncologia tem especificidades que resultam da doença basal (topografia do tumor, volume da doença, expectativas de tratamento, quer para a eficácia quer para a segurança), da história individual e familiar e da relação médico/profissional de saúde e doente.

Na lógica da doença oncológica os objetivos da formação serão:

1. Definição de Dor oncológica

2. O significado individual da dor/dores e a resposta ao(s) tratamento(s)

3. A necessidade profissional de conhecer o perfil evolutivo biológico da neoplasia

4. A dor na evolução da doença

5. A necessidade de avaliar a dor de forma sistemática na população sobrevivente de cancro

 

MÓDULO 11: CASOS CLÍNICOS E PROTOCOLOS DE TRATAMENTO DA DOR MÚSCULO-ESQUELÉTICA

1. Relevância da patologia músculo-esquelética na Dor e nas Unidades de Dor

2. Importância de abordagem e da formação em medicina da dor e Medicina Física e de Reabilitação, especialmente vocacionada para dor músculo-esquelética

3. Importância do diagnostico médico e implementação de terapêuticas

4. Discussão de casos clínicos

 

MÓDULO 12 A: CASOS DE INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA NA DOR EM CUIDADOS PALIATIVOS

1. Sensibilizar para os princípios de intervenção nos Cuidados Paliativos

2. Avaliação e Intervenção na dor nos Cuidados Paliativos

3. Partilha de experiência e reflexões criticas com base na apresentação e discussão de casos clínicos apresentados

 

MÓDULO 12 B: A PSIQUIATRIA E A DOR

1. Papel do Psiquiatra na Equipa Multidisciplinar da Dor

2. Depressão e Dor

3. Ansiedade e Dor

4. Ideação suicida e dor

5. Perturbações da Personalidade e Dor

6. Dor como sintoma Psiquiátrico

Corpo Docente

Armando Almeida

Armando Almeida , Professor Doutor

Professor Associado na Escola de Medicina da Universidade do Minho (UM), coordena os componentes letivos de Histologia e Embriologia nos dois primeiros anos do Curso de Medicina com Mestrado Integrado da UM. Biólogo de formação e atual membro do domínio de Neurociências do Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde (ICVS) da Escola de Medicina da UM, dedica-se desde 1990 à investigação em mecanismos de dor crónica e seu tratamento, tendo-se doutorado em 2000 com uma tese sobre a modulação descendente da nocicepção e dor. Coordena uma equipa multidisciplinar de investigação em dor no ICVS, foi orientador de 8 teses de doutoramento e atualmente coordena estudantes de doutoramento e pós-doutoramento. Publicou mais de 90 artigos científicos e capítulos de livros internacionais.

Patrícia Pinto

Patrícia Pinto

Especialista em Psicologia Clinica e da Saúde (pela Ordem dos Psicólogos Portugueses), licenciada em Psicologia pela Faculdade de Psicologia da Universidade do Porto (FPCEUP) e doutorada em Psicologia da Saúde pela Universidade do Minho (UM), na área da dor cirúrgica. Tem ainda formação adicional em estatística e psicoterapia, nomeadamente em hipnose e terapias cognitivo-comportamentais de 3ª geração.

Actualmente é Investigadora de pós-doutoramento no Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde (ICVS), da Escola de Medicina da UM, onde está envolvida e é responsável por diversos projetos de investigação e ensaios clínicos em contexto de saúde e doença, especialmente na área da dor, quer ao nível da concepção e design dos projetos, quer ao nível da implementação dos mesmos. É docente do Curso Avançado de Aspectos Práticos e Essenciais em Cuidados Paliativos e Professora Auxiliar Convidada do Curso de Enfermagem (Licenciatura, Mestrado Integrado e Pós-graduação), sendo orientadora de Mestrados do Curso de Medicina com Mestrado Integrado.

Tem publicado artigos científicos originais em revistas de circulação internacional de reconhecido impacto e já foi premiada pelos seus trabalhos clínicos desenvolvidos na área da dor, nomeadamente com o Prémio Grünenthal Dor, para a melhor investigação clinica, o mais alto galardão atribuído em Portugal na área. Tem sido oradora em diversos congressos e conferências nacionais e internacionais e tem tido uma participação ativa em júris académicos e de prémios.

José Miguel Pêgo

José Miguel Pêgo

Médico anestesiologista e Professor Associado na Escola de Medicina da Universidade do Minho (UM), coordena as Unidades Curriculares”Biopatologia e Introdução à Terapêutica” e “Socorrismo” do Curso de Medicina com Mestrado Integrado da UM. É membro do domínio de Neurociências do Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde (ICVS) da Escola de Medicina da UM, dedica-se desde 2002 à investigação do efeito do stress crónico na estrutura do cérebro e sobre os comportamentos de medo e ansiedade. Doutorou-se em 2008 com uma tese sobre o impacto do stress crónico na estrutura e função da amígdala cerebral. Leciona nas áreas da Farmacologia, Anestesiologia e Cuidados Críticos. É responsável pela área da simulação no Laboratório de Aptidões Clínicas da Escola de Medicina da UM. Mais recentemente tem-se dedicado ao estudo do processo avaliação de aptidões cognitivas. É certificado pelo National Board of Medical Examiners com o curso “Foundations of Assessment in Medical Education (FAME)” e é membro e atual Presidente da Comissão Científica do “European Board of Medical Assessors”.

É fundador e sócio-gerente da empresa iCognitus uma spin-off da UM, especializada em software para a gestão do processo de avaliação (medQuizz).

Laurinda Lemos

Laurinda Lemos

licenciada em Medicina pela Faculdade de Medicina do Porto em 1983, concluiu a Especialidade de Anestesiologia em 1994. Realizou o concurso público para Assistente Graduado em 1999 e obteve o grau de Assistente Graduado Sénior de Anestesiologia em 2002. Em 2009 conclui o Doutoramento na Escola de Medicina da Universidade do Minho, com a tese “A Analgesia combinada na Nevralgia do Trigémio: associação de anticonvulsivante com o bloqueio periférico de Ropivacaina”. É Diretora do Serviço de Anestesiologia do Hospital Senhora da Oliveira em Guimarães desde 2013 e é Coordenadora da Unidade de Dor Crónica do Hospital Senhora da Oliveira desde 2014. É orientadora de Internos de Anestesiologia e de Estagiários de Anestesiologia e de outras especialidades. É orientadora de teses de mestrado e de projectos de opção de alunos da Faculdade de Medicina da Universidade do Minho. Apresentou palestras em eventos Científicos Nacionais (41) e em eventos Internacionais (8). Realizou a apresentação de estudos clínicos e casos clínicos, sob a forma de comunicações livres e Posters em Eventos nacionais como autora (10) e como co- autora (8). Tem artigos publicados em revistas nacionais (6) e internacionais (4).

Luís Pereira

Luís Pereira

Médico Anestesiologista no Centro Hospitalar de São João (CHSJ); integra e exerce atividade na Unidade de Dor Crónica do CHSJ desde 2016.

É docente na Unidade Curricular de Anestesiologia e Medicina Intensiva da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), estando envolvido no ensino pré-graduado e pós-graduado. No ano letivo de 2016/2017 foi orientador de uma tese de Mestrado Integrado em Medicina da FMUP; atualmente, é orientador de duas teses de Mestrado Integrado em Medicina da FMUP.

Encontra-se a concluir o Programa Doutoral em Investigação Clínica e em Serviços de Saúde da FMUP, com a tese intitulada "Chronic Postoperative Pain after Cardiac Surgery". É autor de 4 artigos sobre dor crónica pós-operatória, que foram publicados em revistas internacionais indexadas.

Rosa Fragoso

Rosa Fragoso

Licenciada em Medicina, Competência em Medicina da Dor, Mestre em Oncologia Médica. Formadora do Curso de Pós Graduação de Medicina da Dor da U. Porto. Consultora Sénior do Serviço de Oncologia Médica do IPO Porto e Coordenadora da Unidade de Estudo e Tratamento da Dor do IPO Porto. Orientadora de formação de Internos de Formação Específica de Oncologia; responsável de estágio de Formandos da Pós Graduação em Medicina da Dor e de Internos de Formação específica de Medicina Interna, Medicina Geral e Familiar e Anestesiologia.

Gerly Macedo

Gerly Macedo

Licenciada em Psicologia pela Universidade do Minho e com diversas Pós-Graduações realizadas entre 2003 e 2014 na área da Psicologia da Saúde e Cuidados Paliativos por universidades e institutos superiores de ensino nacional e internacional. Membro efetivo da Ordem do Psicólogos Portuguesa como Psicóloga Clinica e da Saúde e Psicoterapeuta. Desempenha funções clinicas assistenciais na área da Dor Crónica e Psico-Oncologia desde 2001 e na área dos Cuidados Paliativos desde 2014 até à presente data, junto de população adulta portadora de doença crónica oncológica e não oncológicas em Hospital do SNS e em Serviços de Saúde Privados do Conselho de Braga. Em concomitância desenvolve atividades de formação/ensino e de orientação de estágios pré e pós-graduados na área da psicologia clinica e da saúde em colaboração com diversas instituições públicas e privadas de Ensino Superior nacional. Em paralelo, c/as mesmas intuições de ensino, desenvolve e participa em projetos de investigação científicos nas referidas áreas de avaliação e intervenção psicológica, com publicações de artigos em revistas nacionais e internacionais e c/participações em diversos eventos nacionais como palestrante e ainda em (co)autoria de poster e comunicações científicas sobre as áreas de interesse e intervenção clinica mencionadas.

Sónia Simões

Sónia Simões

Licenciada em Medicina pelo Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar em 2005, concluiu a especialidade de Psiquiatria, no Hospital de Braga, em 2012. Assistente Hospitalar de Psiquiatria no Centro Hospitalar do Algarve de Janeiro de 2013 a Abril de 2014 e, posteriormente, no Hospital Senhora da Oliveira Guimarães, EPE desde Outubro de 2014 até à actualidade. Responsável pela Consulta de Psiquiatria da Dor e pela Psiquiatria da Ligação no referido hospital. Tutora Clínica na unidade curricular de Neurociências Clínicas do 4º ano e da unidade curricular de Residências Hospitalares – Estágio Final do 6º ano do Curso de Medicina com Mestrado Integrado da Universidade do Minho desde o ano lectivo 2014/2015. Experiência na área da Toxicodependência (desempenha funções de Especialista em Psiquiatria no Centro de Respostas Integradas de Braga – Equipa Técnica de Guimarães desde Abril de 2014 até à actualidade).

Calendarização e localização

PORTO

LIVESTREAM

06 de Março de 2021;

10 e 24 de Abril de 2021;

15 e 29 de Maio de 2021;

12 e 26 de Junho de 2021;

10 e 24 de Julho de 2021;

04 e 18 de Setembro de 2021;

02 e 16 de Outubro de 2021.

06 de Março de 2021;

10 e 24 de Abril de 2021;

15 e 29 de Maio de 2021;

12 e 26 de Junho de 2021;

10 e 24 de Julho de 2021;

04 e 18 de Setembro de 2021;

02 e 16 de Outubro de 2021.

Instituto Português de Psicologia e Outras Ciências

Rua de Camões 219, 5º Piso

4000-145 Porto, Portugal

Plataforma Online

Instituto Português de Psicologia e Outras Ciências

Duração: 143 Horas (104 horas síncronas + 39 horas assíncronas)

Nota: datas sujeitas a eventuais alterações.

Horário: Sábados e/ou Domingos (09h00 às 13h00 / 14h00 às 18h00) e/ou Pós-Laboral (18h00 às 22h00).

A modalidade presencial poderá vigorar em alternância com a modalidade não presencial.

Investimento

Inscrição:

150.00 €

Propina:

1,140.00 €

Seguro escolar:

20.00 €

Condições de pagamento da propina

Pronto pagamento - 12% desconto

Normal + Seguro Escolar
1,003.20 € + 20.00 €
(Ex) Alunos do INSPSIC (15% desconto) + Seguro Escolar
969.00 € + 20.00 €
Inscrições Pioneiras (18% desconto)

Porto até 20 Dez. 2020 / Livestream até 20 Dez. 2020

934.80 € + 20.00 €

12 mensalidades

Normal
95.00 €
(Ex) Alunos do INSPSIC (10% desconto)
85.50 €
Inscrições Pioneiras (18% desconto)

Porto até 20 Dez. 2020 / Livestream até 20 Dez. 2020

77.90 € + 20.00 €

(1) Pronto pagamento beneficia de 12% de desconto nas propinas das EAP e MBA. Desconto aplicável na condição de ser efectivada a liquidação total do investimento nos 5 dias úteis pós validação da inscrição.

(2) Alunos e ex-alunos do INSPSIC beneficiam de 15% desconto na propina (opção pronto pagamento) ou 10% de desconto na opção pagamento fraccionado em mensalidades.

(3) Estudantes externos e temporariamente inativos beneficiam de 12% na opção pronto pagamento e também na opção pagamento fracionado em mensalidades.

(4) TRAGA UM AMIGO / 5% desconto por cada amigo até ao limite do pagamento integral da formação. Opção acumulável com outros descontos em vigor.

- INSCRIÇÕES PIONEIRAS: 18% desconto nas propinas se realizadas até 45 dias antes da data inicial da formação.

Nenhum desconto, cartão ou campanha é acumulável entre si, excepto Com a opção "TRAGA UM AMIGO".

O Curso com “preço especial” é cumulativo apenas com a opção "TRAGA UM AMIGO".

Seguro Escolar: 20 euros. Este valor deverá ser regularizado conjuntamente com a 1ª propina ou com o pronto pagamento.

Seguro Escolar: 8 euros. Este valor deverá ser regularizado conjuntamente com a 1ª propina ou com o pronto pagamento dos cursos com duração inferior a 24 horas.

Pagamento por transferência para o IBAN: PT50 0033 0000 4541 1532 8050 5

SWIFT/BIC: BCOMPTPL

Critérios de seleção

- Análise Curricular;

- Ordem de chegada das candidaturas (a candidatura só é válida após pagamento da inscrição);

- Entrevista (se necessário)

Observações

(1) A data limite poderá ser antecipada em caso de se verificar o preenchimento do limite de vagas existentes.
(2) Na eventualidade de não atingir o número mínimo de participantes, esta formação poderá sofrer alteração de datas ou mesmo ser cancelada, ficando salvaguardada a devolução de todas as importâncias recebidas pelo Instituto Português de Psicologia;
(3) Em caso de desistência só haverá lugar à devolução da candidatura quando a mesma for comunicada até 10 dias úteis antes da data agendada para o arranque da formação.
(4) Em períodos de campanha, haverá lugar à devolução dos valores investidos unicamente em situação de adiamento superior a 30 dias ou cancelamento da formação em que se tenha inscrito motivado pelo não atingimento do número mínimo de inscrições necessárias ao seu início;
(5) No caso de optar pelo pagamento fracionado das propinas, o mesmo deverá ser efetuado até ao dia 10 de cada mês, após início da formação;
(6) No caso de optar pelo pagamento na totalidade, o mesmo terá de ser efetuado nos 5 dias úteis após validação da inscrição;
(7) O local de formação poderá estar sujeito a alterações por indisponibilidade do mesmo, mantendo-se sempre na mesma cidade;
(8) Toda a informação contida em cada formação é válida, salvo anomalia técnica, informática ou erro gráfico.

Documentos obrigatórios

CV;

Certificado de habilitações;

NIF (Número de Identificação Fiscal);

Envio de comprovativo do pagamento da inscrição.

Inscrição

Subscreva a newsletter do INSPSIC: Construímos o Futuro Consigo.

Candidaturas e informações

Instituto Português de Psicologia | Escola de Formação Avançada
INSPSIC - Instituto Português de Psicologia, Lda
Departamento de Formação Pré e Pós-Universitária
Secretariado e Gabinete de Admissão de Alunos | Student Admissions Office
Rua de Camões Nº 219, 5º Piso
4000-145 Porto / Portugal
Tel./Fax. 220 934 050
Tlm. 91 019 60 02
E-mail:geral@inspsic.pt
URL:www.inspsic.pt

fechar

 

Nós ligamos

fechar